11 julho 2017

Saúde > Peso.

Desde que eu me entendo por gente eu sou gordinha. Desde pequena ouço meus tios pegando no meu pé por causa do meu peso e fazendo piada. Antigamente eu abaixava a cabeça, hoje em dia não faço mais isso.. De qualquer forma, não é essa questão que eu queria abordar.

Vim falar que tô tentando emagrecer de novo. "Ai, meu Deus, Bruna, de novo?" Sim, de novo, novamente, e outra vez, porque, infelizmente, eu já emagreci e engordei 10kg mais de 6 vezes dentro 3 anos e, não, não estou exagerando. Pois todas as vezes que eu emagreci esse peso todo, foi por causa da dieta Dukan. Agora uma observação bem grande aqui: a Dukan foi a única dieta que realmente me ajudou a emagrecer, e não me arrependo de ter feito, mas não faria novamente, pois não acho que tenha feito bem para o meu corpo em questão de saúde. Fora que depois de emagrecer o que eu queria, eu voltava a comer tudo em dobro e nunca me preocupava em me exercitar. Ou seja, estava com um corpo aparentemente saudável, mas com uma mente ainda problemática em relação a comida.

Enfim, também não era sobre a Dukan que eu queria falar.. Na verdade, não queria falar muita coisa, só cinco coisas simples que eu tenho trazido para a minha vida nessas últimas 2 semanas e que tem me dado equilíbrio:
  1. Você não precisa deixar de comer o que quer, apenas não exagere. Mas tenha consciência que o que você comer vai fazer parte do seu corpo.
  2. Se achar que exagerou, não se desespere, isso acontece. Continue firme em frente, se não você vai surtar!
  3. Faça uma atividade física todos os dias, mesmo que seja algo pequeno, como caminhar durante 20 minutos, ou dançar sozinha no quarto. Qualquer movimento é melhor do que movimento nenhum!
  4. Esqueça a ideia de ser magra, pense em ser saudável! Seu corpo vai te responder da melhor forma possível. Ser mais saudável vai influenciar na sua vida de muitas formas boas.
  5. Desvirtue a idéia de que saúde está ligado a magreza. Você pode muito bem ser gordinha e saudável. Portanto, preocupe-se com a sua saúde em primeiro lugar, não com o seu peso! 

21 junho 2017

Põe na mala.

Em 2013 enquanto preparava a minha mala para passar 6 meses nos EUA, percebi que a eu tinha poucas roupas. E não estou falando daquele papo "não tenho nada para usar", mas na verdade o guarda-roupa está cheio de opções ou reclamando, apenas estou alegando um fato: eu, realmente, tinha pouca roupa, tanto que levei todo o meu armário em apenas uma mala grande - o que facilitou bastante a minha vida, pois não tive que escolher quais gostaria de levar.

Já nos EUA, passei 2 semanas morando em Scranton na Pennsylvania e depois me mudei para Jacksonville na Flórida. Para realizar essa mudança, fiz algo que não fazia há algum tempo em casa: desapeguei de algumas roupas. Enquanto eu arrumava, novamente, a mala para mudar de estado, percebi que eu possuia roupas remendadas, alargadas e outras bem velinhas. Fiquei pensando como não havia notado isso antes, nem quando estava arrumando a mala semanas antes para viajar - acho que nessa situação se explica pelo fato de eu estar muito animada e ansiosa. Enfim, a questão é que nessa nova arrumação de mala 2 semanas depois da primeira, me desapeguei de algumas roupas, o que diminuiu mais ainda o meu "estoque".

Nos 5 meses - voltei 1 mês antes - lá nos EUA, acabei comprando algumas roupas, aumentando um pouquinho mais o meu guarda-roupa. Entretanto, o principal motivo que me motivou a comprar roupas lá fora, foi devido a dificuldade de encontrar roupas bonitas e práticas do meu tamanho aqui no Brasil, assim como os valores serem bem menores.

Minha mãe brinca comigo, dizendo que não sabe como eu não fico sem roupa, já que pelo menos uma vez por mês ou a cada 2 meses, eu dou uma geral no meu guarda-roupa e tiro muitas roupas para doação - sempre penso em vender para poder ter algum dinheirinho extra, mas no fim, acabo doando mesmo. Simples: o tanto de roupa que eu passo pra frente, as pessoas passam pra mim, também. Não me importo de ganhar roupa usada - óbvio que todas as que eu ganho, estão em perfeito estado. Ás vezes a pessoa só não se identifica mais com aquela peça de roupa ou tem outra parecida ou simplesmente quer passar pra frente. É cada roupinha linda que eu boto pra viver de novo!

De qualquer maneira, 5 anos se passaram e adivinhem? Todo o meu guarda-roupa ainda cabe inteiro dentro de uma mala grande. ♥


14 fevereiro 2017

Filmes de Janeiro.

Adoro fazer listas, principalmente ser for listas de um ano novo. Resolvi, então, desde que 2017 começou que eu iria anotar no meu Bullet Journal (não sabe o que é? Em outro post eu explico!) todos os filmes que eu visse. E como Janeiro já passou, vim compartilhar a resolução do primeiro mês do ano. Queria ter conseguido assistir 31 filmes, ou seja, 1 filme para cada dia, mas só consegui ver 19. De qualquer forma, tá ótimo :)


  • Agentes do Destino: a ideia do filme é boa, mas achei que ele vai se perdendo e o final é muito sem graça. Podia ter se desenvolvido melhor.

     
  • Para Sempre Alice: eu já li o livro e fiquei MUITO emocionada, então, infelizmente achei que o filme não transmite a mesma emoção. 


  • Jane Quer Um Namorado: me fez pesquisar sobre a Síndrome de Asperger.

  • Minha Mãe É Uma Peça 2: minha mãe é completamente diferente da Dona Hermínia, então, sei lá, acho o filme engraçado, mas nada demais. E o primeiro foi melhor!

  • O Bom Dinossauro: que bagulho triste!

  • Milagres do Paraíso: história real! da esperança pra vida.

  • Perfeita É A Mãe: Adoro a Mila Kunis entãão...

  • Mistress America: hm, chatinho... 

  • Já Estou Com Saudades: filmes sobre câncer é sempre pesado, mas a amizade das duas é linda e faz o filme valer muito a pena.

  • O Clube Das Mães Solteiras: adoro filme que tem várias histórias misturadas!

  • Simplesmente Acontece: esse tipo de filme me da agonia! mas nada comparado a "Um Dia".

  • Virei Um Gato: bobinho, mas amo gatos, então.. 

  • Como Ser Solteira: achei que fosse acabar sendo parecido com "Ele Não Está Tão Afim De Você", mas não é! 

  • O Seu Jeito De Andar: no inicio fiquei meio "como assim???", mas assistam até o final.

  • XxX - Reativado: O QUE O NEYMAR FAZ NESSE FILME, GENTE? Ok, passado isso, os efeitos especiais desse filme são ótimos! e adoro uma aventura, ainda mais com o Vin Diesel.

  • Um Suburbano Sortudo: tem uma ou outra coisa engraçada, mas muito fraco. Não sou muito fã de besteirol.

  • Minha Mãe E Eu: fraquinho, mas tem a Monica de Friends. ♥


  • A Garota Dinamarquesa: esperava mais do filme, de qualquer forma, é bom! E graças a Deus que só fui ver esse depois de já ter visto "Animais Fantásticos e Onde Habitam", ou não daria certo haha

Beeeeeeem, é isso! Já viram algum desses filmes? Tem algum filme para me indicar? Comentem ai!



27 janeiro 2017

Ano novo na Praia do Sono - Paraty - RJ.

Já estamos quase em fevereiro, e só agora eu vim falar sobre a minha viagem de ano novo. Mas, antes tarde do que nunca, ne? Rs Acho que esse é o meu mantra do blog haha

Então, assim como o ano novo passado em Arraial do Cabo, esse ano fui passar a virada na praia também, só que dessa vez na Praia do Sono em Paraty. ♥ Eu fiquei lá do dia 29 de Dezembro de 2016 ao dia 1º de Janeiro de 2017. Gente, que lugar! Sério, vocês tem que ir!


Foto que eu tirei do barco quando estava chegando na Praia do Sono.
Ida/Volta - Carro + Barco: Você pode chegar na ilha tanto por barco (R$ 60 para 2 pessoas - pagamento APENAS em dinheiro!) quanto por trilha. Eu fui de barco, então vamos do inicio: primeiro você tem que ir para o Condominio Laranjeiras em Paraty, lá você pergunta onde pega fica o barco/trilha para a Praia do Sono, e eles vão te indicar onde ir. Nesse local, se você quiser ir de barco, irá pegar uma senha para uma vaga na van (a van é de graça!) que irá te levar até o barco que sai de dentro do tal Condominio Laranjeiras. Porque não posso ir direto para o Condominio? Porque tem um controle da quantidade de pessoas que podem passar por dentro do Condominio. 500 dia de semana e 400 final de semana. Então, pegou a senha, chegou a sua vez de pegar a van, vão te levar pra onde fica o barco, pega o barco e tcharam, chegou! Agora um detalhe: a senha da van é um número para 2 pessoas. Se você não tiver alguém, lá na hora eles vão dando um jeito de te juntar com alguém. Isso acontece porque o barquinho só cabem 2 pessoas por vez. Mas, calma, são vários barcos! haha
Foto retira do site Trilhas no Rio De Janeiro.
Ida/Volta - Trilha: não passei pela trilha, então não tenho muito o que falar, mas pra chegar nela é o mesmo esquema: siga para o Condominio Laranjeiras em Paraty e lá peça informação. É pertinho de lá e do lado do local onde pega a senha para o barco.

Foto da Praia do Sono tirada pelo meu namorado.
Praia: a água estava numa temperatura ótima! Nem quente e nem gelada. Tava aquela água gostosa de ficar sabe? E sem ondas de tsunami, mas também sem ser lagoa. Resumindo: tava maravilhosa! E o melhor de tudo: sem tubarão risos nervosos. Só a areia que tava quente pra caralho.

Foto retirada do site Paraty Tur Br.
Cachoeira: a trilha até a cachoeira do Poço do Jacaré é bem tranquila, leva menos de 1h e da pra fazer de chinelo. Tem umas partes em que fica um corredor fechado cercado de plantas, cuidado pra não ser engolido por nenhuma delas brincadeira. Não esqueça de levar água!
Foto tirada por mim de dentro da barraca. Aproveita e me segue no instagram haha @brunabrasil1
Camping: eu fiquei no camping Raiz do Sono com um preço em conta pra época, paguei R$ 35 a diária. Entretanto, eu não o recomendo: dos dois chuveiros que tinham, no ultimo dia só um estava funcionando; lá não tinha papel higiênico – você que tinha que leva; o banheiro no ultimo dia estava imundo, assim como a cozinha; o espaço ficou pequeno pra tanta barraca. E bem, obvio que eu sei que os donos do campings não tem culpa se os hospedes são nojentos, porém, acho que, no mínimo, podiam tirar com mais frequência os lixos, pois os mesmos transbordavam. E claro, também sei que por ser alta temporada e ano novo acaba ficando lotado, mas se não suporta tanta gente, então não abra tanta vaga.
Foto de um dos restaurantes de lá, retirado do site Fui Acampar.
Gastos: eu fiquei meio chocada com o preço das coisas, como, por exemplo, um misto quente R$10 (ou R$12, agora não lembro ao certo), mas depois que conversei com o pessoal de lá, realmente, tem lógica as coisas serem caras. Primeiro, que lá não é de fácil acesso: ou você paga para entrar/sair de barco ou enfrenta uma trilha de acho 1:30h, ou seja, não é todo mundo que vai ou que conhece o local. Segundo, para os vendedores conseguirem os seus produtos precisam sair de la e ir buscar, então imagina a dificuldade. Terceiro, que só fica cheio mesmo em alta temporada (ano novo, carnaval, etc), o resto do ano fica vazio e tem uma porrada de coisa que nem abre. Então, é em época de festa que eles aproveitam para garantir o dinheirinho deles. 

Bem, é isso. 
E, POR FAVOR, GENTE, NÃO DEIXEM DE ADMIRAR O CÉU LÁ (na verdade, em qualquer lugar rs mas lá principalmente)! É MUITA ESTRELA, COISA MAIS LINDA! VI ATÉ ESTRELA CADENTE! ♥
Gif retirado do Tumblr.


17 janeiro 2017

"Salvos" do Facebook.

Sabe aqueles links/postagens/videos que você vai salvando no facebook pra ler depois e acaba deixando pra lá? Pois é, por questões de preguiça e medo de acabar com o 3g eu tenho um monte dessa galera esquecida em "Salvos". Resolvi começar o ano me desapegando disso também :) Então, vou colocar tudo aqui e zerar lá. Segue o baile!

Receitas Doces:
Receitas Salgadas:
Textos:
Dicas:
Beleza:
Ai, é muita coisa salva. Fiquei com preguiça. Outro dia faço uma postagem com o que falta. Ou talvez eu apague logo tudo e deixe pra lá. Inté.

05 dezembro 2016

Doe-se.


Ontem eu conheci a Débora, menina negra dos olhos verdes - que nem os da sua tia, que a acompanhava. 9 anos, tem um gato, mas prefere cachorro. Sua irmã se chama Agatha. Débora não sabe ler, mas se encantou pela historinha do Lobisomem da Turma da Mônica, mesmo sem conhecer - ironicamente vestia a camisa da "dona da rua". Disse que eu aparentava 22 anos e que eu era muito bonita, mesmo vestida com um enorme jaleco de manga verde-musgo e luvas - já que a Débora não podia ter contato físico com ninguém. O câncer foi descoberto recentemente através de uma infecção que a mãe achou ter virado caxumba. Aliás, a mãe de Débora ainda não aceita muito bem a situação "a milha filha com câncer? Não é possível". Débora tem lindos cabelos crespos que precisarão ser raspados para o tratamento. Um passarinho nos contou que ela anda sem fome, e na mesma hora ela olhou braba para tia, chateada por ter sido caguetada. Quase não a vi sorrir, e quando sorria, não sei dizer exatamente se ria comigo ou se ria de mim "que moça boba tentando me animar". E, de verdade, não importa, pois o olhar de Débora pra mim já falava muito mais.

João Vitor tem 12 anos, branquinho, careca e possui 2 irmãos e 1 irmã - que nem eu. Perguntei se gostava do natal e me respondeu que sim, mas que iria passar ali. A mãe respondeu correndo que não, e ele desanimado falou "vou, mãe, tem o resto do tratamento". João me aparentou bem ciente da sua situação. Mas ainda assim, com sorrisos tímidos, conversou bastante conosco. Sua comida preferida é batata-frita e tá louco pra ir para a casa e poder comer a comidinha da mãe - ele disse que ela cozinha bem. Adora jogar futebol e vídeo-game. No vídeo-game, quando joga futebol, prefere o Barcelona e disse que sempre vence. Não duvido muito, pois João Victor irá receber alta na terça. Ele já é um vencedor.

Érica tem 2 anos, loirinha do cabelo liso e olhos azuis. Estava com a sua mãe que não aparentava ter mais de 20 anos. Érica se interessou pelo livro das princesas, no qual só haviam vestidos e sapatos para destacar; por um álbum de figurinhas de futebol incompleto; e por um livro de bichinhos que ficava com os olhinhos mexendo, esse foi o seu preferido. A pele dela é bem branquinha, o que permite que vejamos todas as marcas roxas que as agulhas deixaram, porque há mais de um dia não encontram a sua veia. Isso fazia jus ao pavor que ela sentia da enfermeira. Já o palhaço que estava com a gente criou um sentimento de amor e ódio na menina: se ele chegava perto ela chorava de medo, mas se ele ia embora ela chorava também - imagino que de saudade. Teve uma hora que ela ficou em pé na cama e correu pra cima de mim: estava contente, um monte de gente ali, ria sem parar.

Essas são 3 das várias crianças e 1 jovem que eu conheci ontem e que estão internados no HemoRio. Todos tem câncer. A única diferença entre eles é o tempo em que irão ficar ali - uns chegando e outros indo. Quando eu estava subindo o elevador do Hospital, achei que fosse me acabar de chorar, mas não derrubei uma lágrima. Quando você vê aquelas crianças sendo tão fortes, você não se sente no direito de sofrer. Ou melhor, você não quer sofrer, quer apenas transbordar amor, oferecer palavras de conforto e irradiar sorrisos e brincadeiras. Espero que todos saiam logo dali e voltem para as suas casas com aqueles que os amam - e pela porta da frente. E se eu dei algo pra eles aquela tarde... Bem, pode ter certeza que eu ganhei muito mais! Por isso eu digo: façam trabalho voluntário, seja em orfanato, hospital, escola, com criança, adulto ou idoso. Vocês nunca mais serão os mesmos!

08 novembro 2016

"Porque quando vira nó, já deixou de ser laço." (Mario Quintana)

"Existem certos lugares e determinadas pessoas que deveremos definitivamente riscar de nossas vidas, como algo a ser evitado, assim como comportamentos que só serviram para nos afastar de sorrir. Insistir em manter próximo a nós quem e o que não acrescentam, não alegram nem somam, equivale a apertar a tecla da infelicidade mais de uma vez. (...)

Prefira estar sozinho a se acompanhar por quem jamais amenizará a sua solidão.

(...) Não tente voltar a sorrir naqueles lugares onde sua alegria foi anulada, onde sua essência foi perdida, onde seu amor foi recusado. Não fique onde sua respiração torna-se ofegante, onde o suor frio cobre suas têmporas, onde você se sente um nada. Sempre haverá novas moradas, outros empregos, ambientes diferentes, onde nos encaixaremos sem precisar abrir mão de nossa dignidade. (...)

Não implore por aquilo que você tem condições de receber naturalmente, de coração e peito abertos, com carinho de verdade. Desprenda-se de nós que apertam e construa laços serenos com gente que sabe compartilhar e dividir, sem cobranças, sem afetação.

Não é fácil rompermos com as amarras que nos limitam em nossa zona de conforto, a qual, na verdade, incomoda-nos em muitos aspectos. Termos a coragem de agir pensando em nossa felicidade, mesmo que soe a egoísmo, deixando para lá o que emperra o nosso caminhar seguro, nunca poderá ser fonte de arrependimentos. Mesmo que demore, somente assim iremos olhar para trás de uma distância segura e sorrir, na certeza de foi o melhor a ser feito. Porque optar por si mesmo salva e liberta. Sempre."


Texto de Marcel Camargo. Texto completo disponível em: http://www.contioutra.com/nao-procure-felicidade-no-mesmo-lugar-em-que-perdeu/